Palmeira Toca no Salão Estadual de Turismo

No final de abril, o Palmeira Imperial tocou no II Salão Estadual de Turismo do Rio de Janeiro, com a participação especial do Kal do Agbê, na Nação Estrela Brilhante do Recife. Também tivemos as mais do que especiais presenças do Johnny “Mestre dos Magos”, da Lena e da Viviane “Vivi” Brito, amigos queridos e distantes. Saudade docês!

Último Dia – A Sempre Difícil Volta pra Casa

A parte chata é ir embora. Há sempre o conforto da volta ao lar, mas deixar Recife para trás é difícil. Trouxemos na bagagem, além de instrumentos novos e conhecimento, muitas amizades, o carinho da galera do Pina (que sofreu com um incêndio há dez dias) e de todas as nações que conhecemos in loco: a Nação do Maracatu Porto Rico, a Nação de Maracatu Estrela Brilhante de Recife, a Nação Estrela Brilhante de Igarassu e a Nação do Maracatu Encanto do Pina – cujas sedes conhecemos -, além do Maracatu Nação Encanto da Alegria, do Maracatu Nação Leão Coroado, do Maracatu Nação Cambinda Estrela (este, um dos que mais me emocionaram) e outros tantos.
Obrigado a todos e até a volta!

Nossos bombos novos, embalados e prontos para a viagem!

A carona na kombosa; stress total para pegar o avião!

Cadê minha macaíba, que não chega nunca?

Onde foi parar a alegria, moçada?

Sexto Dia – Alto José do Pinho


Na quarta, penúltimo dia de viagem, o Palmeira foi visitar o bairro do Alto José do Pinho, onde está a sede da Nação de Maracatu Estrela Brilhante do Recife. Fomos muito bem recebidos pelo Kal do Agbê (que estará nessa semana em Paraty para ministrar oficina de percussão). Ele nos guiou pelo bairro e nos mostrou a sede da nação.
O mais bacana dessa comunidade é a quantidade e a qualidade da produção cultural que há lá. Não há só maracatu, mas samba, afoxé e rock – o bairro é berço, entre outros, dos Devotos, uma das bandas mais importantes do punk brasileiro.

Odin conhece a sede da Nação

Os preparativos da campeã do Carnaval

A çalera do Quilombo do Campinho se empolga com a oficina